Número total de visualizações de página

15/03/12

PARABÉNS MAFALDA PELOS 50 ANOS! 15/3/12

Mafalda, do cartunista Quino, completa 50 anos hoje!!!
A garotinha de seis anos criada pelo cartunista argentino transformou-se em ícone da cultura pop.
 “Uma heroína irascível que rejeita o mundo como é, reivindicando seu direito de continuar sendo uma menina que não quer se responsabilizar por um universo adulterado pelos pais”. A definição do escritor e filósofo Umberto Eco para Mafalda, personagem criada há 50 anos pelo cartunista argentino Joaquín Salvador Lavado, conhecido como Quino, não poderia ser mais exata.
A garotinha é assim mesmo. Diz na cara o que pensa e, às vezes, quando a contrariam, sabe ser ferina e mordaz. Mesmo assim, é um doce de menina, que desde a sua criação, em 15 de março de 1962, segue conquistando uma legião de fãs em todos os países onde suas tirinhas e livros são publicados.
A personagem tem seis anos, detesta sopa, adora Os Beatles e possui uma visão de mundo bem peculiar. Sempre atenta aos detalhes, observa como os adultos não cumprem aquilo que ordenam às crianças. A fórmula da tirinha é simples: ela levanta uma questão, seus pais a respondem e ela termina com o seu comentário. Quando a fórmula esgotou, o autor incluiu Susanita, mantendo este esquema até o final dos quadrinhos.
Quino concebeu Mafalda como peça de uma campanha publicitária para máquinas de lavar roupa, que nunca foi lançada. Cerca de dois anos depois, decidiu tirá-la da gaveta e dar-lhe vida. Em setembro de 1964, a menina estreou na revista semanal Primera Plana.
Mafalda viveu por 10 anos nas páginas de jornais e semanários argentinos. Em 1973, Quino decidiu encerrar a personagem, por “esgotamento de ideias”, segundo ele próprio. Desde então, já se passaram quase 40 anos, mas a menininha inconformada com os rumos da humanidade continua bem viva na memória dos milhares de fãs mundo afora.
Com Mafalda, Quino conseguiu o que sempre sonhara: criticar o contexto político e econômico da Argentina, de forma brilhante. Criou metáforas para falar sobre assuntos que, de outra forma, poderiam ser censurados pelo sistema político repressor da época. Muitas vezes a crítica social e dos costumes fazia as pessoas se reconhecerem e rirem de suas próprias mazelas.
Dez livros foram editados sobre Mafalda. Um deles é 10 Anos com Mafalda, de 2010, inclui as 48 tiras publicadas na revista Primera Plana. Estão lá seus problemas com a sopa, as futilidades de Susanita, os questionamentos do mundo e outras características que fizeram da personagem o ícone que é. 
Viviane Bevilaqua
                                           O cartunista Quino com a estátua de Mafalda em Buenos Aires
Frases Famosas de Mafalda:

“Boa noite mundo! Boa noite e até amanhã, mas fique de olho! Tem muita gente irresponsável acordada, viu?”

“As vezes me pergunto se a vida moderna não tem mais de moderna do que de vida.”

“Deus, espero que o senhor possa ajudar a melhorar o estado da situação… Ou será que é a situação do Estado?”

“Já que há mundos evoluidos, por que tive que nascer justo neste?”

”O problema da família humana é que todos querem ser pai.”

"Justo a mim coube ser eu!"

"A sopa é para a infância o que o comunismo é para a democracia!"

"Engraçado...Quando eu fecho os olhos o mundo desaparece."

"A vontade é a única coisa do mundo que quando esvazia tem que levar uma alfinetada."

"Tudo serve para alguma coisa, mas nada serve para tudo."

"O homem é um animal de hábito ou será que de hábito o homem não é um animal?"

"Pobrezinha, fizeram de você um mero capacho para limpar os pés antes de entrar no Universo..." - Mafalda olhando para a Lua.

"E não é que neste mundo tem cada vez mais gente e cada vez menos pessoas?"

"Porque que quando colocamos os pés no chão a brincadeira acaba?" - Mafalda após parar o balanço.

"Não adianta dar um ano novo para eles! Logo já vão quebrando."

"O urgente nunca deixa tempo para o importante."

"Coitado." - Mafalda após ouvir de sua mãe que Deus está em todos os lugares.

"Professora, todo mundo sabe que sua mãe te ama e te mima... Agora, dá para ensinar algo importante?"

"Maquiando os já para parecer o antes." - Após ver sua mãe.

"O País todo tá lá fora esperando! O que é que eu digo? Mando sentar?"

"Se é uma questão de títulos, eu sou sua filha. E nos diplomamos no mesmo dia! Ou não?"

“Se a vida começa aos 40, por que nascemos com tanta antecedência?”

50 ANOS BEM VIVIDOS. PARABÉNS, MAFALDA!

ATENÇÃO, ATENÇÃO!!! Homenagens obrigam Quino a esclarecer que Mafalda faz 50 anos em 2014.


 As homenagens pelo 50º aniversário de Mafalda, obrigaram seu criador a se manifestar sobre a idade de sua obra e esclarecer em seu site oficial que ela completará meio século em 2014.
"Mafalda completa em 2014. O dia de sua primeira publicação foi 29 de setembro de 1964, na revista Primera Plana. Para Quino é o dia do nascimento de Mafalda como personagem de tirinhas. Qualquer outro cálculo de aniversário é incorreto", afirma o comunicado que encabeça o site oficial de Quino.
"Festejaremos em dois anos", convidou o autor, de 79 anos.
Enquanto o desenhista prefere tomar como data de nascimento o aparecimento das próprias tirinhas, outros interpretam que a data a ser levada em conta é 15 de março de 1962, quando o personagem foi criado como parte de uma campanha de publicidade que nunca foi divulgada.
"Mafalda não tem idade", disse Tereixa Constela em uma homenagem realizada pelo jornal El País de Madri, no qual vários ilustradores reinterpretam a querida e universal personagem, cujas tirinhas foram traduzidas para mais de 20 idiomas.
Quino esclareceu o que considerou um "mal-entendido" em seu site oficial www.quino.com.ar.
"Pensar em uma cronologia para um personagem de tirinhas é difícil, a Mafalda continua sendo uma menina e sempre será assim, por isso Quino considera que o aniversário de Mafalda é o dia de sua primeira publicação em meios gráficos, 29 de setembro de 1964", destacou Quino.
As tirinhas sobre Mafalda, a mordaz menina de uma típica família de classe média argentina que, com suas ácidas críticas e seu olhar sobre o mundo, fez leitores de todo o planeta sorrirem e pensarem, deixaram de ser editadas em 1973.
Da AFP Paris

Sem comentários:

Enviar um comentário