Número total de visualizações de página

23/03/12

Caminhar diariamente também ajuda a manter o cérebro "em forma"

Adultos saudáveis têm o hipocampo anterior 40% mais desenvolvido
           AGORA É QUE EU VOU CORRER MESMO!!!
ROMA, Itália. Pesquisadores de quatro universidades norte-americanas concluíram que uma corrida ou uma caminhada diária é uma importante arma para manter não só o corpo, mas, também, o cérebro em forma. É a ciência comprovando a antiga filosofia de que uma mente sã mora em um corpo são. Essa nova pesquisa põe em xeque trabalhos anteriores, defensores da tese de que a saúde mental pode ser mantida resolvendo-se palavras cruzadas.

De acordo com o estudo realizado por cientistas das universidades de Pittsburgh, Illinois, Rice e Ohio, uma caminhada de 40 minutos por dia diminui o ritmo da queda de memória fisiológica - que está relacionada à idade. Esse tipo de exercício também aumenta o volume do hipocampo, área do sistema nervoso responsável pelo armazenamento das lembranças.

"Essa descoberta é importante especialmente para os pacientes de Alzheimer ou de demência", explica o coordenador de neurobiologia da Escola Internacional de Estudos Avançados (Trieste, Itália), Enrico Cherubini, em entrevista para o jornal italiano "La Repubblica". Mas a relação entre a atividade física e a memória também afeta quem goza de perfeita saúde mental e quer se manter saudável, já que corridas ou caminhadas periódicas irão auxiliar na prevenção desse tipo de doença.

As correspondências entre a dimensão do hipocampo e a melhora da memória já foram demonstradas outras vezes. Pesquisadores das universidades de Illinois e Pittsburgh publicaram, recentemente, o resultado de outra pesquisa que aponta essa relação. Segundo esse estudo, os adultos fisicamente saudáveis tendem a ter o hipocampo anterior 40% mais desenvolvido do que os sedentários. Uma outra pesquisa, do Max Planck Institude (Friburgo, Alemanha), demonstrou que a atividade física influencia positivamente na memória, pois melhora a eficiência vascular. Com veias e artérias mais elásticas, o sangue circula melhor e o cérebro é mais irrigado. Essa pesquisa ressalta também que a atividade física libera neurotransmissores que agem na atenção e no humor, melhorando o funcionamento dos circuitos nervosos cerebrais. Somados, esses estudos são a prova de que menos palavras cruzadas e mais exercícios são o que uma pessoa precisa para se manter saudável física e mentalmente.

Exercite-se. A atividade física também estimula fatores de crescimento, indispensáveis para o desenvolvimento dos neurônios.
Vida social ativa preserva a capacidade mental dos idosos
ROMA. Lapsos de memória são comuns em nosso dia a dia. Frequentemente, nos esquecemos da lista de compras no supermercado, por exemplo. Mas experimente conversar com alguém sobre o esquecimento. Logo, os dados voltam à memória rapidamente.

O fato foi estudado por um grupo de pesquisadores da Universidade de Zurique, na Suíça, que concluiu que conversas e relações sociais podem ser tão eficazes para uma melhora na memória – principalmente de idosos – quanto jogos que estimulam a atividade cerebral. Logo, conclui-se que uma vida social ativa é capaz de preservar as capacidades mentais dos mais velhos.

O estudo é um importante alerta, já que muitos idosos são frequentemente deixados sozinhos, sem ter com quem compartilhar suas experiências do dia a dia. O hábito é prejudicial não só para o humor e a auto estima das pessoas mais velhas, como também se mostra uma ameaça à saúde mental.
JORNAL O TEMPO EM 12/3/12       

Sem comentários:

Enviar um comentário