Número total de visualizações de página

26/03/12

O riso e a personalidade - A história do riso - Eduardo Lambert


A alegria evita mil males e prolonga a vida. William Shakespeare

O   médico  Eduardo  Lambert,   especializado  em  terapias  holísticas,  autor  do  livro,   A Terapia do Riso, Editora Pensamento, considera o riso como uma terapia, que tem o objetivo de levantar o astral das pessoas, envolvendo autoestima, amor próprio e o bom humor. O médico desvenda alguns tipos de personalidade a partir do riso. Leia três piadas para exercitar o seu lado cômico.


O riso e a personalidade

Sorriso aberto: ( tipo há!há!há!) em geral próprio de pessoas extrovertidas, amigas e leais.

Sorriso verdadeiro: demorado simétrico, provocando rugas nas pálpebras, instala-se gradualmente e se vai lentamente, despertando sinceridade e confiança.

Sorriso largo: próprio de pessoas abertas e generosas.

Riso constante: (tipo Olá! Bom diaaa!) É próprio da pessoa que está sempre contente e otimista demostrando força de caráter.

Riso contagiante ou vibrante: próprio de pessoas emotivas e otimistas, desperta a vontade de rir também.

Risos negativos

O riso negativo é ruim para quem o faz, já que a pessoa não sintetiza todas as endorfinas que poderia sintetizar.

Riso de boca fechada: próprio de pessoas que controlam o que dizem.

Riso de lado: é do tipo falso. A pessoa disfarça o sorriso para que o outro não o perceba.

Riso falso: em geral é rápido tipo "acende apaga" e não provoca rugas de expressão ao redor dos olhos; é assimétrico pois o rosto fica imóvel.

Rápido: próprio de pessoas egoístas, pessimistas ou introvertidas.

"Quero sempre poder ter um sorriso estampado em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre... E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor. Mário Quintana

A história do riso

Hipócrates o pai da medicina no século IV ª.C já utilizava animações e brincadeiras na cura de pacientes.
Darwin pioneiro no estudo dos movimentos expressivos da comunicação não-verbal, classificou em seu livro A expressão das emoções nos homens e nos animais (1872) o sorriso e o riso entre os movimentos expressivos inatos e universais.
Na França, Jeanne Louisie Calmet, falecida em 1997 aos 122 anos afirmou que o segredo da longevidade é sorrir sempre.
Na Índia algumas empresas tem o costume de fazer uma sessão de riso antes de iniciar a jornada de trabalho. O resultado é um aumento considerável na produção, em decorrência do bem estar físico e emocional dos trabalhadores.
Estudo feito pelo Centro Médico da Universidade de Maryland (EUA), com a presença de especialistas de vários países, mostrou que rir protege contra infartos e doença coronárias.

Sem comentários:

Enviar um comentário