Número total de visualizações de página

23/09/11

Poema da Primavera - Alice Poltronieri

Seja bem-vinda a primavera!      CONTRIBUIÇÃO DA AMIGA CLÁUDIA TEMER.




Poema da Primavera


...Metamorfose dos encantos
Encaixe dos sentimentos
Delicadezas se ondulam em flores
Nas asas da imaginação
Seu sorriso, meu disfarce
Me perco no equinócio do seu florescer
Num canto bem adubado do meu coração
Outra semente germina
Pulula em vida pós-inverno
De begônias e hortênsias
Ornando meu caminhar.
Quem hibernou, involuntário
Ao saltar para a primavera
Encontra suave brisa
A refrescar a tez acalorada febrilmente.
Enfim vitória de uma semente
É primavera chegando
A esperança renascendo
O colorido tingindo
O caminho do passante
Desencasula... para a vida
Desacrisola... para a maturidade
As forças da natureza me deixam e êxtase
Momento de recomeçar
Floreça em mim a primavera de minh'alma
As lágrimas transformem-se em suave brisa
Ou num orvalho manso a regar meu coração...
Estação das flores dentro de mim,
Reaja ao inverno sequioso dos sonhos meus
E brotem novos sonhos
Novas forças,
Nova vontade de sonhar.
Caminho lentamente, mas com firmeza
Esqueço o que doeu
Apago o traço da dor
Aborto a palavra saudade
Construo ruas de felicidade
Onde dançarei a dança da paz
Com o arco-iris a brincar
Ao vento vão os pensamentos
Novos sonhos, novos alentos
O tempo... ah, o tempo!
Meu íntimo confidente,
A primavera me trouxe.
Um dia novo está surgindo
Um sonho novo me envolve
Vida nova...
Saúde...
Paz...
Enfim, a primavera me beija a face.

22/09/11

ALGUMAS FRASES DA TATI BERNARDI Q EU GOSTO MUUUUIIIITO!!!



"Eu tenho saudade de quando inverno era frio, verão era calor e beijo na boca era namoro." 


"Se for falar mal de mim me chame, sei coisas terríveis a meu respeito."

Quem escolhe mulher pela bunda merece ter um relacionamento de merda.

"E chega! Há anos peço o príncipe e só me mandam o cavalo."


 
Vou ver novela. Tá decidido. Uma preguiça em arrumar homem. Novela pelo menos avisa “é a última semana!” Homem some no auge da primeira.


Sabe aquele mulher super equilibrada? Que nunca te cobra nada? Super segura, nada ciumenta e calma? Ela tem outro.


"Estar com alguém errado é lembrar em dobro a falta que faz alguém certo."




"Desculpem o trocadilho infame, mas a vida é feita de altos e baixos. Altos, fortes, morenos, sensuais, possíveis..."


Eu tinha visto na sua solidão, uma excelente amiga para a minha solidão. Eu achei que elas pudessem sofrer juntas, enquanto a gente se divertia!

"Eu só preciso levar a vida, eu só preciso desfocar do sonho que me deixa míope e enxergar além."

"Temos um problema geográfico. Você quer abraçar o mundo e eu ficaria contente em abraçar você."

Mas enfim, existem coisa que somente o coração é capaz de explicar e as vezes não adianta só virar a página, muitas vezes precisamos rasgá-la!

Deus me proteja de mim, e da maldade de gente boa e da bondade de gente ruim.

Na mulher interessante a beleza é secundária, irrelevante e até mesmo desnecessária. A beleza morre nos primeiros quinze dias, num insuportável tédio visual. Era preciso que alguém fosse de mulher em mulher anunciando: ser bonita não interessa, seja interessante!

Numa rodinha de homens o assunto são putas. Numa rodinha de mulheres o assunto são filhos da puta.

As vezes, é preciso muita humildade pra ser arrogante.

Enquanto o mundo vive lá fora, dentro de cada um tem um pedaço do outro. E mesmo sorrindo por ai, cada um sabe a falta que o outro faz.

Quando você é chato e mesmo assim eu te beijo, não é porque sou paciente. É porque estou me despedindo.

A saudade que sinto de todas as pessoas que foram é por tudo o que elas não foram.
"Tem homem que é melhor de boca calada. Tem homem q é melhor de zíper fechado. O difícil é arrumar um que seja bom nas duas coisas abertas."

Minha rinite não aguenta mais meus sonhos virarem pó.

Tenho um pinto no cérebro. Sempre que algum homem fala algo muito inteligente ele cresce e me fura os olhos. Eis o amor cego.

A gente entende que saudade, além de não se traduzir, também não se cobra. Que presença e importância não se impõe.

As larvas do meu coração viraram borboletas no meu estômago.

Sou isso hoje... Amanhã, já me reinventei.

Me empresta seu peito porque a dor não tá cabendo só no meu.

"Eu nao preciso de você nem para andar, nem para ser feliz; mais como seria bom andar e ser feliz ao seu lado".

HOJE É TEMPO DE SER FELIZ! - Pe. Fábio de Melo



A vida é fruto da decisão de cada momento. Talvez se...
ja por isso, que a idéia de plantio seja tão reveladora sobre a arte de viver.

Viver é plantar. É atitude de constante semeadura, de deixar cair na terra de nossa existencia as mais diversas formas de sementes.

Cada escolha, por menor que seja, é uma forma de semente que lançamos sobre o canteiro que somos. Um dia, tudo o que agora silenciosamente plantamos, ou deixamos plantar em nós,será plantação que poderá ser vista de longe...

Para cada dia, o seu empenho. A sabedoria bíblica nos confirma isso, quando nos diz que "debaixo do céu há um tempo para cada coisa!"

Hoje, neste tempo que é seu, o futuro está sendo plantado. As escolhas que você procura, os amigos que você cultiva, as leituras que você faz, os valores que você abraça, os amores que você ama, tudo será determinante para a colheita futura.

Felicidade talvez seja isso: alegria de recolher da terra que somos, frutos que sejam agradáveis aos olhos!

Infelicidade, talvez seja o contrário.

O que não podemos perder de vista é que a vida não é real fora do cultivo. Sempre é tempo de lançar sementes... Sempre é tempo de recolher frutos. Tudo ao mesmo tempo. Sementes de ontem, frutos de hoje, sementes de hoje, frutos de amanhã!

20/09/11

Ele não quer transar? Calma, ainda não é o fim do mundo - IVAN MARTINS


Ao contrário do que diz a lenda, homens não estão sexualmente disponíveis todo o tempo. As mulheres casadas sabem disso, as namoradas sabem disso, até as amantes, depois de algum tempo, descobrem que é assim.

Não estou falando da ansiedade do primeiro encontro, quando o sujeito, muitas vezes bêbado, acha que tem de improvisar uma performance que supere, ou pelo menos iguale, as incontáveis proezas sexuais que ele, desde os 14 anos, ouviu narradas por amigos e inimigos.

Não.

O objeto do meu interesse é a falta de desejo no interior da relação, quando o livro chegou à página 50 ou 100, quando as coisas estão tranquilas, e, subitamente, aquele sujeito que costumava jogar a mulher na parede e embasbacar-se com seu corpo nu parece mais propenso a jogar-se no sofá e abrir um livro – ou apertar, sem pressa, os botões do controle remoto.

Vocês sabem do que se trata.

Acho que toda relação tem esses períodos de castidade involuntária. Em alguns casos, a escassez de sexo será a marca do esgotamento e do fim. Em outras, apenas uma calmaria temporária que desperta, pelo período da sua duração, enorme inquietação em quem está a bordo.

São esses intervalos de abstinência involuntária que me interessam.

Eles são chatos para todo mundo, mas especialmente para os homens. Nessas ocasiões, as mulheres reagem como se os parceiros estivessem, propositalmente, recusando algo a que elas têm direito. A ausência de sexo seria uma espécie de crueldade masculina, uma punição ostensiva ou inconsciente e, talvez pior, um tipo de negligência e abandono. Esses sentimentos femininos são extremamente dolorosos, mas, provavelmente, infundados. Eles se baseiam na percepção de que os homens funcionam sexualmente como as mulheres – o que, absolutamente, não é verdade.

As mulheres podem transar sem sentir desejo. São fisicamente capazes de tomar parte em uma transa mesmo sem estarem excitadas. É uma possibilidade anatômica que elas exercem quando acham necessário – por carinho, por pena, por ambição, por medo ou, simplesmente, para poder dormir em paz.

Por isso, eu acho, elas se abatem tanto quando os homens negam sexo. É como se eles estivessem recusando um gesto de carinho solidário que toda mulher ou namorada afetuosa é capaz de oferecer. Eu já ouvi mulheres reclamando: “Ele nem tenta! Será que ele acha que toda vez que a gente transou eu estava louca de vontade?”

Esse tipo de generosidade faz todo sentido entre pessoas que se gostam, mas ela é fundamentalmente estranha ao universo masculino - pela simples razão de que ereções não se produzem por pena, carinho ou necessidade econômica, embora cada uma dessas coisas, no contexto adequado, possa contribuir.

Homens são incapazes de doar – ou vender - sexo porque, literalmente, o sexo não pertence a eles da mesma forma como pertence às mulheres. Não existe para os homens a possibilidade de uma relação sexual completa sem que eles sintam desejo pela parceira. Mesmo as drogas contra impotência só funcionam nessa condição. Elas potencializam o desejo, não o substituem.

O que se faz, então, quando se entra num período desses de calmaria e falta de sexo?

A primeira providência, eu acho, é não hostilizar o parceiro. Lembre-se: ele não pode resolver o seu problema da mesma forma como você resolveria o dele se a situação fosse inversa. É uma impossibilidade.

Outra dica que já me serviu: ponha-se bonita, de preferência provocante, e saia com ele por aí. Numa calmaria dessas, marquei com a namorada de encontrar amigos num restaurante. Ela chegou linda, com as pernas de fora, e me deixou todo orgulhoso. Enquanto almoçávamos, percebi que, na mesa ao lado, havia três garotas lésbicas que não tiravam os olhos dela. Estavam fascinadas com a minha namorada e, de alguma forma, o desejo delas acendeu o meu. A calmaria doméstica se encerrou naquela mesma noite, em grande estilo.

A última coisa prática que eu tenho a dizer sobre isso: desligue a TV ou, dependendo do namorado, tire do ar as redes sociais. Eu fico hipnotizado diante de qualquer filme. Sei que há caras por aí que não conseguem mais desgrudar do Facebook. Você não pode exigir que o seu homem esteja em riste, mas pode lembrar a ele que aparatos viciantes não ajudam. Se ele, sistematicamente, se recusar a desligar a TV ou largar do Twitter, mesmo diante de uma crise, estará sinalizando uma escolha – que pode não ser por você.

Mas, francamente, acho que essas crises são mais emocionais do que práticas.

Em geral, por trás da inapetência do sujeito estão acontecimentos no trabalho, frustrações íntimas, tensões que estão se montando dentro dele sem que você (ou ele mesmo) perceba. O tempo e uma atmosfera relaxada costumam ajudar a dissipar essas nuvens.

Às vezes, acho que períodos assim, embora não sejam legais, podem ser úteis. Eles forçam os casais a uma relação mais carinhosa, mais terna, que, frequentemente, fica de lado em benefício da sensualidade. Na falta de sexo, os homens tendem a se desdobrar em outros tipos de demonstração de afeto. Eu já me peguei mais meigo e atencioso nesses períodos. É uma forma de compensar que tem virtudes e seus benefícios.

Se nada disso parecer uma solução ou um consolo (ups!), lembre do mantra: não somos perfeitos, nem em sexo nem em nada. Gostar significa, necessariamente, aturar imperfeições. Às vezes é falta eventual de sexo, às vezes é coisa pior. Em geral, tudo se resolve. Quando não, há sempre o mundo, vasto mundo, a nos oferecer novas rimas e soluções. 

MÃE É MÃE E FAZ CADA COISA... Hilda Lucas


BACANA! RECEBI  POR  E-MAIL  DA  AMIGA ÂNGELA  CAYUELA,  GOSTEI  E  POSTEI!!!

"Mãe é aquele ser estranho, louco, capaz de heroísmos, dramas e breguices com a mesma fúria; paga mico, escreve carta para Papai Noel, se faz passar por fadinha do dente, coelho da páscoa, cuca, pede autógrafo para artistas deploráveis assiste a programas, peças, shows horríveis, revê milhares de vezes os mesmos desenhos animados, conta as mesmas histórias centenas de vezes, vai pra Disney e ADORA!

Mãe faz escândalo, tira satisfação com professor, berra em público, dá vexame, deixa a gente sem graça, compra briga; é espaçosa, barulhenta, tendenciosa, leoa, tiete, dona da gente. Mãe desperta extremos,ganas, irrita, enlouquece, mas... É mãe.  

Mãe faz promessa, prestação, hora extra, pra que a gente tenha o que é preciso e o que sonha. Mãe surta, passa dos limites, às vezes até bate, diz coisas duras; mãe pede desculpas, mortificada... Mãe é um bicho doido, louco pela cria. Mãe é Visceral!

Mãe chora em apresentação de balé, em competição de natação, quando a filha menstrua pela primeira vez, quando dá o primeiro beijo, quando vê a filha apaixonada no casamento, no parto... Xinga todo e cada desgraçado que faz a filha sofrer, enlouquece esperando ela chegar da balada, arranca os cabelos  diante da morte...

Mãe é uma espécie esquisita que se alterna entre fada e  bruxa com um naturalidade espantosa. É competente no item culpa e insuperável no item ternura, mas pode ser virulenta, tem um lado B às vezes  C, D, E...

Mãe é melosa, excessiva, obsessiva, repulsiva, comovente, histérica, mas não se é feliz sem uma. Mãe é contrato: irrevogável, vitalício intransferível!

Mãe lê pensamento, tem premonição, sonhos estranhos. Conhece cara de
choro, de gripe, de medo; entra sem bater, liga de madrugada, pede favor chato, palpita e implica com amigos, namorados, escolhas. Mãe dá a roupa do corpo, tempo, dinheiro, conselho, cuidado, proteção.

Mãe dá um jeito, dá nó,dá bronca, dá força. Mãe cura cólica, porre, tristeza, pânico noturno, medos. Espanta monstros, pesadelos, bactérias mosquitos, perigos. Mãe tem intuição e é messiânica: Mãe salva. Mãe guarda tesouros, conta histórias e tece lembranças. Mãe é arquivo!

Mãe exagera, exaure, extrapola. Mãe transborda, inunda, transcende.
Ama, desmama desarma, denota, manda, desmanda, desanda, demanda. Rumina o passado, remói dores, dá o troco, adora uma cobrança e um perdão lacrimoso.

Mãe abriga, afaga, alisa, lambe, conhece as batidas do nosso coração, o toque dos nossos dedos, as cores do nosso olhar e ouve música quando a gente ri. Mãe tem coração de mãe!
Mãe é pedra no caminho, é rumo; é pedra no sapato, é rocha; é drama mexicano, tragédia grega e comédia italiana; é o maior dos clássicos;é colo, cadeira de balanço e divã de terapeuta... Mãe é madona-mia! É deus-me-acuda; é graças-a-deus; é mãezinha-do-céu, é mãe é minha- e- eu- mato -quando- quiser; é a que padece no paraíso enquanto nos inferniza...   

Mãe é absurda e inexoravelmente para sempre e é uma só: não há Mistério maior! Só cabe uma mãe na vida de uma filha... e olhe lá! Às vezes, nem cabe inteira.
Mãe é imensurável!
Mãe é saudade instalada desde o instante em que descobrimos a morte.
Mãe é eterna, não morre jamais. Bicho estranho, entranha, milagre, façanha, matriz, alma, carne viva, laço de sangue, flor da pele.  

Mãe é mãe, e faz cada coisa..."

12/09/11

Viver é uma sabedoria - Por Teuler Reis

Viver é uma sabedoria.
Viver é uma sabedoria regada a reflexões. Às vezes me assusta a dureza das pessoas para se entregarem à reflexão. Passam suas vidas manipuladas por maneiras prontas e acabadas de resolver problemas, de perceber a vida e, muitas dessas maneiras, completamente obsoletas.
“A vida sem reflexão não merece ser vivida”, já nos dizia Sócrates. Não há apenas uma maneira de ver o mundo. Agarrar-se a uma única leitura é se condenar à pequenez da alma. Há um caleidoscópio à disposição dos nossos olhos para ver o mundo.
Quantos sofrem diante da limitada capacidade de encontrar outro caminho, de investigar possíveis passagens e explorar novos horizontes? Viver é comungar de uma escolha, penetrar num olhar e apaixonar-se pela jornada escolhida. Enquanto tantos preferem escolhas prontas, caminhos marcados, sentidos finalizados por antepassados, há quem ouse fazer da reflexão uma investigação capaz de romper barreiras, de reconstruir estradas, redefinir valores e rever posturas sacramentadas pelo tempo.
É preciso acordar o sujeito adormecido em nós, dar voz a sua capacidade de crítica, devolver ao indivíduo seu direito de julgamento.
Muitas vezes o sofrimento, a dor, provêem da cegueira instituída, emana do cômodo, ou decorre da ignorância traduzida pelo desconhecimento de levantar nossas possibilidades. Imprescindível reverter a desordem; lançar luz sofre o sofrimento, o enquadramento, que engessa e imobiliza milhares de pessoas na dor.
Um bom exemplo é o ódio. Não odiamos o outro, odiamos a representação que fazemos do outro. Odiamos nossa presunção, a arrogância em definir de antemão o outro. Não é o outro que me fere, é a ideia que construí do outro em mim. E assim, ignorantes do jogo, imbuídos da limitada condição humana posta ao nosso alcance, alimentamos o ódio, o desprezo, e tantos outros sentimentos que, na verdade, atingem unicamente o próprio sujeito.
Somente a reflexão, a volta que o pensamento faz sobre si mesmo, é capaz de romper com essa perversa relação criada no seio do relacionamento humano.

06/09/11

Recados para uma infância mais feliz! Por Camila Felipe Vega

HOMENAGEM DE CAMILA, A MADRINHA DO GABRIEL, MEU FILHO, NA FESTA DO CINEMA, NO SEU ANIVERSÁRIO DE 9 ANOS. 










Recados para uma infância mais feliz!

Acredito que ser criança é uma das 7 maravilhas da vida. Mas assim como em várias situações da vida, só conseguimos perceber isso quando ela se foi, ficando na memória um saudosismo inexplicável dessa época que não volta mais, por mais que tentamos.
É por isso que me vejo no importante papel, enquanto madrinha do meu querido Gabrielzinho, de dizer a você, meu afilhado, alguns conselhos que só posso dar porque hoje, aos 22 anos, olho pra trás e vejo quão maravilhosa foi minha infância.
Desde já, peço desculpas aos meus tios, caso algum conselho aqui não seja tão politicamente correto, mas conto também com suas compreensões, já que não há nessa Terra, alguém que não tenha vivido as venturas de ser criança.
Vamos à lista:
1) Coma bastante gordices: danette, coca-cola, chips, pipoca aritana, paçoquinha recheada... Quando a gente cresce, esses prazeres da vida vêm acompanhados de uma dor de cabeça tão grande, que pensamos duas vezes antes de atacar uma torta.
2) Coma também coisas saudáveis, saladas e verduras, porque infelizmente é muito difícil criar esse hábito depois de velho.
3) Não desperdice todo seu tempo livre atrás de computador e videogames. Por mais divertido que sejam os jogos, eles não te sujam de barro, não te fazem cair no chão e levar uns leves arranhões, não te deixam sujar as paredes pra entender o que é uma bronca de mãe, e principalmente, não te fazem perder noites de sono planejando a brincadeira que você irá inventar no dia seguinte.
4) Celular é apenas em último caso, aos 9, 10 anos de idade é muito mais divertido conversar pessoalmente com nossos amigos, porque desse encontro saem experiências e lembranças que te marcam toda uma vida.
5) Tire bastante fotos. A gente acha que sempre nos lembraremos de como somos hoje, mas acredite... nosso espaço de memória vai se ocupando com tantas bobagens ao longo da vida, que tem hora que o que mais queremos é uma simples recordação real do que éramos há 15 anos atrás.
6) Agora um conselho mais profundo... Fale e faça com os outros apenas aquilo que você gostaria que lhe fizessem e falassem. Nessa época não costumamos ter muita noção do quão poderosas são nossas palavras, e certamente, lembrar dessa Lei Divina nos instrui a ser, desde pequenos, uma pessoa mais iluminada.
7)Brinque bastante, veja televisão, se puder veja também os desenhos de antigamente... deixe pra se preocupar com namoradinhas quando for um pouco mais velho, porque não tenha dúvida que você passará um bom tempo de sua vida cuidando das coisas do coração.
8)Resumindo, meu querido, busque sua felicidade sempre, faça muitos amigos, beije muito seus pais e sua irmã: o amor da família é a única certeza de incondicionalidade que temos na vida. Reze a noite e peça proteção aos seus anjos e a cada dia que amanhece, olhe para o céu e procure imaginar o que os formatos das nuvens estão te lembrando.
9)Aproveite ao máximo cada segundo da sua infância, porque assim como todas as outras fases da vida, ela passa, e o que colheremos dela são as experiências maravilhosas que proporcionamos a nós mesmos.
No mais, receba um grande beijo da sua madrinha que te adora muitoooooo!!!
Fica com Deus...
Cacá -  27/08/2011