Número total de visualizações de página

23/11/10

Seiscentos e Sessenta e Seis - Mário Quintana

A vida é uns deveres que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são 6 horas: há tempo...
Quando se vê, já é 6ªfeira...
Quando se vê, passaram 60 anos...
Agora, é tarde demais para ser reprovado...
E se me dessem - um dia - uma outra oportunidade,
eu nem olhava o relógio
seguia sempre, sempre em frente...
E iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas.

- (In: Esconderijos do tempo)p. 477 [2]

DEDICO PARA MINHA AMIGA GLEUSINHA: "A amizade é uma espécie de amor que nunca morre." M. Quintana

VAMOS REPASSAR... NA  INTERNET CIRCULA como sendo de M. QUINTANA:

Vida, O Tempo e/ou Lição de Vida
A vida são deveres, que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas...
Quando se vê, já é sexta-feira
Quando se vê, já é Natal ....
Quando se vê, já terminou o ano .
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida .
Quando se vê, passaram-se 50 anos !
Agora, é tarde demais para ser reprovado ...
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade,
eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho,
a casca dourada e inútil das horas ...
Seguraria o meu amor, que está há muito à minha frente,
e diria eu te amo...
Dessa forma, eu digo:
não deixe de fazer algo que gosta
devido à falta de tempo.
Não deixe de ter alguém ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá, será desse tempo que infelizmente...
Não voltará mais. (Este transcrito ao lado contém enxertos e título(s) de origem desconhecida, se trata de uma adaptação).
- VOCÊ viu acima desse o Poema de Mário Quintana que tem por título: "Seiscentos e Sessenta e Seis".

Sem comentários:

Enviar um comentário