Número total de visualizações de página

04/04/12

CARTA DE UM IRMÃO MAIS VELHO - Por Samuel Sales Fonteles

Samuel, o autor desse texto lindo e que tanto me emocionou, foi um menino levado, bonito e muito esperto, que vi crescer no colégio onde trabalhei. Era um aluno bem agitado, inteligente, e embora desse trabalho para as professoras, era tb muito querido, não por ser filho de uma professora do colégio onde estudava, (minha amiga linda, Suzani, maravilhosa profissional, com qm aprendi tanto, um ser humano com as melhores qualidades, uma entusiasta nata!) mas percebia que Samuel era querido por ser assim: espirituoso, sensível e muito especial. Tudo me leva a crer que essas características ficaram e estão hoje nesse homem e professor que se tornou.  SAMUEL fez uma belíssima homenagem ao aniversário do seu irmão mais novo, André. Vale a pena ler!

Você  aceitaria que  o  seu marido  tivesse  outra mulher?  Você  dividiria  o  amor  da  sua esposa com outro homem? O ser humano quer ser exclusivo. Porque eu, que inaugurei o útero da minha mãe, tive que dividir o amor dela com o meu irmão? Eu, que era o único, passei a ser apenas um dos dois. Eu era O FILHO, mas, depois dele,... passei a ser UM DOS FILHOS.

Quando meu irmão mais novo nasceu, eu ardi em ciúmes. Eu tinha apenas 2 anos e dois meses, mas me lembro da minha mãe sentando ao meu lado e dizendo que precisava ter uma conversa séria comigo. Ela me disse que todos os meus bens seriam partilhados, que eu teria que aceitar o fato de que meus brinquedos seriam divididos e que, agora, haveria outro no meu quarto. Tudo que eu pude perguntar foi: até mesmo o Xico, mamãe? Xico era o meu palhacinho de pelúcia que eu adorava, não venha gaytolizar uma frase de uma criança. Minha mãe respondeu: não, o Xico pode ser só seu. Mas o resto será dele TAMBÉM (passei a odiar a palavra também).

Relata minha mãe que, assim que o André (meu irmão) chegou da maternidade, eu escalei o berço e comecei a esmurrar aquele pacotinho de carne que tentava dormir no meu lugar. Disso eu não lembro (risos). Eu era apenas o primogênito tentando defender o seu espaço, o sue lugar, a sua majestade. Eu queria ser amado exclusivamente.

O tempo passou e meu irmão mais novo foi se tornando um pesadelo. Eu me esforçava para ser autêntico, diferente, original, mas ele sempre imitava meu jeito de falar, de andar e tentava se comportar exatamente como eu. Era difícil eu compreender que o irmão mais novo precisa espelhar-se em alguma referência e que eu deveria me orgulhar por ser um referencial.

No meu prédio, a maioria das crianças eram mais velhas que eu. Logo, também eram mais fortes. Quando se é criança, a menina deseja ser a mais bonita. O menino quer ser o mais forte. Tudo é muito simples no universo masculino. Quem é o mais respeitado no trânsito? O ônibus, porque é o maior. Quem é o menos respeitado? A moto, por ser uma máquina menor (o que explica porque geralmente o tamanho do carro é inversamente proporcional a determinadas particularidades anatômicas, mas isso não vem ao caso). Assim também é o universo dos garotos, durante a infância: o mais forte lidera o grupo e os mais fracos sofrem bullying.

Meu maior desafio era conquistar o respeito dos caras mais velhos do prédio, mesmo jogando futebol muito mal, e ser convidado para as rodinhas de vídeo-game e de "comandos em ação". Mas eu tinha uma pequena pedra no meu sapato: minha mãe dizia que eu tinha que cuidar do meu irmão mais novo. Se já era difícil ser acolhido sozinho (eu era um pivete), o que se dirá com um brinde de 5 anos do lado. Naturalmente, os caras que andavam de skate diziam: não chama o Samuel, ele só pode vir com o irmão dele, que é muito novo e não dá para brincar com a gente. Conclusão: o nascimento do meu irmão mais novo, além de me fazer perder metade dos meus bens, dividir parte do amor da minha mãe, ainda me condenava a um desprezo social... Obviamente, passei a sair escondido dele, a fugir dele, a bater nele e a apelidá-lo.

Um belo dia, acabei me envolvendo em uma briga com um dos garotos do meu prédio. Meu adversário se chamava Roger. Não lembro o motivo da briga, mas me recordo que eu era mais forte e costumava levar a melhor. Infelizmente, nesse dia o Roger parecia estar mais pesado, talvez mais forte e mais rápido do que eu. Ele me derrubou no chão e começou a me esmurrar. Eu tentava me libertar, reagia com toda a minha força, mas não conseguia me desvencilhar. Os outros garotos do prédio fizeram uma roda, cujo epicentro eram os dois lutadores, e começaram a gritar palavras de incentivo, torcer por um dos dois etc. Claro que ninguém separava a briga, afinal, éramos a diversão sádica dos que assistiam à luta. Enquanto eu estava deitado no chão, sendo esmurrado pelo Roger, percebi que uma criança pequenininha entrou no meio daqueles marmanjos, furou aquele cordão humano, correu e se jogou em cima do Roger. Foi uma gritaria! Era o meu irmão mais novo. O mesmo que eu desprezava. Meu irmão, mesmo pequeno, tinha tido o instinto e a bravura de me defender. Ele se jogou como uma bala, usando seu peso para derrubar meu inimigo. Foi só do que eu precisei. Com o Roger no chão, meu trabalho ficou fácil e eu terminei tudo. Acabei vencendo a luta, pela interveniência do meu irmão. Morri de vergonha, disse que ele não precisava ter se metido, que eu ia ganhar de qualquer jeito etc. Fui um tolo, mas o ser humano é cheio de tolices.

Pois bem. Hoje é aniversário do meu irmão mais novo. Faz 25 anos que tentei espancar aquele pacotinho no berço. Eu agradeço a Deus porque você existe,
André Sales Fonteles. Eu queria dizer que eu te amo. Eu sei que você não tinha idade o suficiente para lembrar do que aconteceu. Eu nunca vou me esquecer. Obrigado por aquele dia.

Do seu irmão mais velho.
    OS IRMÃOS SAMUEL E ANDRÉ                                


Comentário de Suzani: Com este texto, você não só presenteou seu irmão, mas também a mim, meu filho amado! Nunca faltará amor para os dois, creia! Vocês são herança do Senhor em minha vida, bênçãos preciosas, minhas riquezas! Como eu os amo!!! Como os admiro!!! Só tenho a agradecer ao Pai por vocês. Tenho vontade de mostrar ao mundo inteiro: Esses são meus filhos! Beijo, beijo, beijo, beijo... Fico lendo e relendo... lendo e relendo... inundada por uma felicidade que só uma mãe compreende! Que texto lindo, filho!!!
ANDRÉ E A MÃE, MINHA QUERIDA AMIGA SUZANI


Comentário de Tânia: SAMUEL, SENSACIONAL! EMOCIONANTE! PARABÉNS POR TANTA INSPIRAÇÃO, CERTAMENTE HERDOU DA MÃE LUMINOSA Q TEM Suzani Wanderley!!! BJOS PRA VCS 2! TÔ ORGULHOSA D+!!!
ONTEM MESMO, MANDEI UMA MENSAGEM PARA SAMUEL: OI SAMUEL, AMEI O TEXTO Q FEZ PARA O ANDRÉ, SERÁ Q VC ME AUTORIZA A POSTAR NO MEU BLOG? CASO POSSA POSTAR, ME DIGA UM TÍTULO PRA ESSA BELEZURA DE RELATO Q TANTO ME EMOCIONOU AO LER. AGUARDO. BJÃO.
SAMUEL, O AUTOR QUE ME EMOCIONOU!
ERA UMA VEZ UM ALUNO QUE SE TRANSFORMOU EM PROFESSOR! 
SAMUEL RESPONDEU: Vai ser uma imensa HONRA, Tia Tânia! O título pode ser "Carta de Um Irmão Mais Velho". Um beijo!!  E muito obrigado pelas palavras!
RESPONDI: SAMUEL, Q BOM, POSTAREI ENTÃO AGORA MESMO, A HONRA É TODIIIIINHA MINHA, FIQUE CERTO! GRANDE BJO MEU.
Woowww ameeeiii ♥ E então postei...

4 comentários:

  1. D+++++++++ Parabens Samuel pela linda homenagem ao irmão,parabens Tânia pela iniciativa de nos prestigiar com uma linda e emocionante mensagem, e meus parabens ESPECIAL a Suzani pela mãe que é, pois com certeza se não tivesse a sabedoria dada por DEUS não teria educado os filhos tão bem com tanto amor e sensibilidade q é o q demonstra a carta de Samuel relatando o amor e a gratidão ao irmão André. Que DEUS abençõe a voçê e sua linda família Suzani,saudades...FELIZ PÁSCOA!!! Bjsssssssssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AUXILIADORA, É UM PRAZER TER VC VISITANDO O BLOG... CONCORDO COM O Q DISSE! REALMENTE ESTAMOS TODOS DE PARABÉNS POR TERMOS A OPORTUNIDADE DE LER UM RELATO LINDO COMO ESSE. É DE EMOCIONAR... EU POSTO TUDO AQUILO QUE LEIO E GOSTO, PENSO Q O Q É BOM E DO BEM DEVE SER COMPARTILHADO! VOLTE SEMPRE POR AQUI. TUDO DE BOM PRA VC! TÂNIA
      "O amor e a amizade são como o eco: dão tanto quanto recebem." Alexandre Herzen

      Eliminar
  2. Deus, Como sou grata por pela honra concedida, Tânia! Que o Senhor abençoe a vocês: Tânia e Auxiliadora. E que abençoe também àqueles que ainda lerão este texto. Que seja ele um instrumento nas mãos do Senhor para abençoar vidas! Um abraço sincero.
    Suzani

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ‎SU, FICO FELIZ POR VC, AMIGA QUERIDA E QUERO DEIXAR CLARO QUE POSTO NO BLOG TUDO O QUE LEIO E GOSTO, PQ ME EMOCIONA (COMO O RELATO DO SAMUEL, MAGNÍFICO!), QDO APRENDO COM ESSA LEITURA, POR IDENTIFICAÇÃO, AO LER ALGO Q PARECE TER SIDO ESCRITO PRA MIM, O QUE ME ALEGRA, OU MESMO QDO DESEJO COM UMA INVEJA BRANCA TER REDIGIDO AQUILO... ENFIM POSTO TUDO O Q VALE A PENA SER REPASSADO, COMPARTILHADO POR OUTROS OLHOS... E A CARTA DO Samuel Sales Fonteles AO ANDRÉ É TÃO BELA... TEMOS MAIS É Q DIVULGAR, MINHA LINDA! BJÃOZÃO MEU PRA VC. E Q DEUS SEMPRE NOS ABENÇOE!

      Eliminar